Microagulhamento em 5 perguntas

1.O que é microagulhamento e qual o seu objetivo?

O microagulhamento é uma técnica que utiliza agulhas finas que ao penetrarem na pele desencadeiam um processo que comprovadamente melhora sua qualidade. Isso ocorre por meio do aumento da elastina e colágeno na derme, remodelamento de colágeno e espessamento tanto da derme quanto epiderme. Além disso, são abertos canais com as agulhas que permitem o aumento da absorção de preparações tópicas pela pele.

2. É uma técnica nova?

A descrição do microagulhamento para uso em cicatrizes da pele foi introduzido em 1997. Desde então a forma de microagulhar se expandiu em diversas técnicas e aparelhos. A resposta clínica está relacionada ao protocolo e a forma de tratamento utilizado. As técnicas IPCA ®, que utiliza dermarollers nos 4 eixos da área a ser tratada e a MMP ®, que associa a infusão de medicações (drug delivery) ao mesmo tempo em que ocorre microagulhamento delicado e controlado são duas opções de tratamento dermatológico em clínica . As técnicas podem ser associadas ou utilizadas isoladamente. Também existem técnicas que associam agulhas e calor, como a radiofrequencia e a radiofrenquecia fracionada.

Aparelho utilizado na técnica MMP ®.

3. Quais são as indicações do microagulhamento?

As indicações da técnica de microagulhamento também são muitas e continuam a crescer. Cicatrizes de acne, cicatrizes de queimadura e pós traumáticas, rejuvenescimento da pele, drug delivery, estrias, alopecia são apenas algumas das indicações dessa técnica efetiva, segura e minimamente invasiva. Uma nova e crescente indicação é o melasma recalcitrante, com boa manutenção do clareamento obtido com a técnica.

4. É segura para ser realizada no verão e em peles morenas?

Sim. Segura também para peles morenas e escuras, pois o risco de hiperpigmentação (escurecimento) é muito mais baixo do que outras técnicas que acabam lesando a epiderme .

5. O que devo saber antes de realizar essa técnica?

O microagulhamento possui um tempo de recuperação bastante curto, com o edema (inchaço) e eritema (vermelhidão) durando cerca de 2-3 dias. O paciente consegue trabalhar no dia seguinte ao procedimento. Costuma ser bem tolerado com anestesia tópica. No pós procedimento são indicados uso correto de filtro solar e retorno de tópicos conforme a orientação do dermatologista . O resultado final de estímulo do colágeno pode ser observado cerca de 3 meses após o procedimento. São contraindicações:

  1. Acne ativa

  2. Herpes labial ou outras infecções na área a ser tratada

  3. Doenças de pele moderada à severa na área a ser tratada (ex: eczema, psoríase)

  4. Discrasia sanguínea ou uso de anticoagulante

  5. Tendência à formação de quelóides

  6. Paciente em quimioterapia ou radioterapia

Referências:

Singh A, Yadav S. Microneedling: Advances and widening horizons. Indian Dermatol Online J 2016; 7:244-54

Bonati LM, Epstein GK, Strugar TL. Microneedling in All Skin Types: A Review. J Drugs Dermatol 2017 Apr 1;16 (4):308-313.

Lima EVA, Lima MMDA, Paixão MP, Miot HA .Assessment of the effects of skin microneedling as adjuvant therapy for facial melasma: a pilot study. BMC Dermatol. 2017 Nov 28;17(1):14

Lima Ede A. Microneedling in facial recalcitrant melasma: report of a series of 22 cases. An Bras Dermatol. 2015 Nov-Dec;90(6):919-21.

Ramaud, L ET AL. Microneedling: where do we stand now? A systematic review of the literature. Journal of Plastic Reconstructive and Aesthetic Surgery. Vol 71. Nr.1 pag 1-14.

Oluwatobi A. Ogbechie-Godec, Nada Elbuluk. Melasma : an Up-to-Date Comprehensive Review. Dermatology and Therapy. Vol:7 nro:3. Pag 305-318.

#microagulhamento #mmp #ipca #radiofrequencia #cicatrizes #roller #dermaroler #drugdelivery

Nossas postagens
Postagens recentes
Arquivo
Buscar por tema
Nenhum tag.

Siga-nos